Por Dra. Patrícia Coutinho, Especialista em Fisioterapia Uroginecológica

Incontinência urinária é a perda involuntária de urina e apresenta uma prevalência que pode variar de 14 a 57% na população feminina. Existem alguns tipos de incontinência urinária, os mais comuns são: Incontinência Urinária de Esforço, Urge-Incontinência, Incontinência Urinária Mista e Urgência Miccional.

A Incontinência Urinária de Esforço se caracteriza pela perda de urina associada ao aumento da pressão intra-abdominal, ou seja, quando a mulher tosse, espirra, pula, anda rápido, pega algum peso ou qualquer outro esforço que aumente a pressão dentro do abdome e ocorre à perda urinária.

Essa perda pode ser:

  • Disfunção leve (perda de algumas gotas)
  • Disfunção moderada (jatos curtos)
  • Disfunção grave (jatos que chegam a escorrer para as pernas)

Mesmo com um índice tão elevado de casos, as pessoas ainda não procuram ajuda, por vergonha, por achar que não existe tratamento ou ainda por achar que faz parte do envelhecimento, mas hoje o tratamento existe e é eficaz na maioria dos casos. O tratamento pode ser conservador ou cirúrgico, o tratamento conservador pode ser realizado com medicamento ou com fisioterapia.

Fisioterapia Pélvica Uroginecológica

A fisioterapia pélvica apresenta nível “A” de evidência cientifica para esse tipo de tratamento segundo a Sociedade Internacional de Continência, ou seja, apresenta excelentes respostas com ausência completa de sintomas em boa parte dos casos.

O tratamento medicamentoso apresenta algumas limitações devido aos efeitos colaterais e por vezes não apresentar o resultado esperado. O tratamento cirúrgico é indicado em algumas situações que o médico urologista irá definir ou quando o tratamento conservador não obteve resultados.

Logo abaixo você irá encontrar algumas perguntas que deve fazer a você mesmo e com as respostas saberá se deve procurar ajuda:

  • Você já perdeu ou perde urina?
  • Se já perdeu, com que frequência essa perda acontece? Todos os dias? Até 3 vezes por semana? Até 3 vezes por mês?
  • Em quais situações essa perda acontece?
  • Esses episódios de perda urinária modificam de alguma forma a sua rotina?
  • Você precisa utilizar algum forro ou absorvente para reter as perdas?

Caso sua resposta seja afirmativa para uma ou mais questões você precisa de ajuda profissional. A fisioterapia pélvica dispõe de vários recursos para tratar esse tipo de disfunção.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *