Baropodometria – Dor nos pés, tornozelos, joelhos, quadris e performance em atividades físicas

Baropodometria é um exame que identifica a pressão executada pelo pé ao tocar uma superfície. Seu nome tem origem na junção dos prefixos BARO (pressão), PODO (pé) e METRIA (medida). Ele é indicado para pacientes que possuem dor nos pés, tornozelos, joelhos e quadris, além daqueles que procuram mais conforto ou performance em atividades físicas, pois, muitas vezes, adaptações nos calçados ou na forma de caminhar resultam na melhor dinâmica da marcha, com menos sobrecarga nas articulações.
É comum praticantes de corrida e caminhada fazerem o exame de Baropodometria para escolher o melhor tênis para sua pisada ou para confeccionar uma palmilha postural ou esportiva para maior conforto, performance ou prevenir lesões durante a prática do esporte.

Dúvidas sobre Baropodometria

A baropometria é a mesma coisa que teste da pisada?

Não. Testes da pisada, geralmente encontrados em lojas de calçados, não contam com a expertise de um fisioterapeuta e geralmente não possuem boas plataformas de pressão, além dos programas de interface serem normalmente fracos. Apesar de analisar a pisada, a baropodometria é muito mais completa, e é aplicada por um fisioterapeuta com conhecimento profundo sobre biomecânica, cinesiologia, posturologia e reabilitação. Somente um profissional especialista conseguirá interpretar o exame corretamente e relacionar os dados coletados com a queixa do paciente – ou identificar alterações posturais do tornozelo, joelho, quadril ou coluna. As variáveis são grandes, e apenas classificar a pisada como supinada ou pronada não traz benefício algum ao paciente.

Preciso de algum preparo específico para realizar a baropodemetria?

Não. O exame é feito com o paciente descalço, e não necessita de nenhum preparo específico. Caso o indivíduo esteja com feridas nos pés, é interessante avisar a clínica antes para estudo aprofundado do caso.

Fiz um teste de loja e deu pisada pronada. Comecei a usar tênis para pé pronado e comecei a sentir dor. A minha dor pode ter relação com a troca do tênis?

Sim. É preciso uma análise criteriosa para entender se o nível de pronação do tênis é compatível com o nível de pronação do pé do indivíduo. Também é comum o paciente fazer teste de loja e o resultado não ser o correto.

A baropodometria é um exame que pode ser feito por qualquer pessoa, seja por indicação médica ou não. Além disso, é um exame que é direcionado para aqueles que possuem algum sintoma (dor), mas também pode ser feito por pessoas que querem saber mais sobre seu pé e sua pisada e identificar fatores de risco para lesões.

A Baropodometria possui duas fases: a de teste estático e dinâmico.

Teste Estático

O indivíduo fica parado em cima de uma plataforma durante um período pré-estabelecido, que permite a avaliação e análise do tipo de pé, picos de pressão e deslocamento do centro de massa do indivíduo quando o mesmo encontra-se parado. A partir daí, pode-se chegar à conclusão de alterações estruturais e posturais, e se o mesmo possui bom controle da musculatura postural – é nessa parte do exame que identificamos se o paciente tem pé “chato”, pé cavo ou pé neutro. Além disso, o exame permite a análise do equilíbrio, mostrando se o risco de queda está aumentado em idosos, por exemplo.

Teste Dinâmico

Nesta segunda etapa o indivíduo irá caminhar sobre a plataforma diversas vezes. A partir desse conjunto de pisadas, é possível determinar o tipo de pisada (neutra, supinada ou pronada), o deslocamento do centro de massa durante o passo, picos de pressão do pé durante o movimento e alterações nas ações musculares durante a atividade. Por permitir uma análise detalhada de todas as etapas da pisada, o exame dinâmico permite ao fisioterapeuta uma melhor prescrição de tratamento ou de palmilhas, pois ele terá, em suas mãos, um mapeamento completo da dinâmica da pisada do paciente.

O tratamento após o exame promoverá o alinhamento da pisada e da postura, pois distribuem adequadamente as cargas e pressões exercidas nos pés, melhorando equilíbrio muscular e articular, prevenindo alterações nos membros inferiores e na coluna e aliviando dores nestas regiões. As indicações mais comuns são:

• Escolioses;
• Espondilolisteses;
• Dores lombares, torácicas e cervicais;
• Dor na planta dos pés;
• Pés planos e cavos;
• Joanetes;
• Esporão calcâneo;
• Metatarsalgias;
• Neuroma de Morton;
• Periostites;
• Tendinites patelar, pata de ganso e tendão do calcâneo;
• Pés diabéticos e diferença no comprimento dos membros.

 

Agende sua consulta conosco para avaliarmos o melhor tratamento para seu caso