A diabetes atinge um número muito alto de pessoas atualmente.

Uma das complicações mais graves e limitantes é o pé diabético.

Causado pela dificuldade em cicatrização de feridas, o pé diabético leva a distúrbios da marcha e até à amputação do membro em casos avançados.

p-diabtico-50-728

O melhor tratamento é a prevenção, usando sapatos confortáveis, sem pontas ou tiras e sempre observar se há lesões de pele locais de difícil cicatrização.

Nos casos de Classe 1 e 2, os curativos diários juntamente com a Terapia por Ondas de Choque são capazes de cicatrizar a grande maioria das feridas, desde que a diabetes esteja sob tratamento e compensada.

Abaixo vemos um exemplo de ferida cicatrizada após 5 sessões de Terapia por Ondas de Choque, realizadas com intervalo de 10 dias. O resultado esperado ocorre após 8 semanas do início das sessões.

Epithelialization

À esquerda: lesão antes da aplicação de ondas de choque À Direita, após 3 sessões e 3 meses

Por promover melhora da circulação local por processo mecânico e bioquímico, as ondas de choque se tornaram uma opção real para o tratamento de feridas de difícil cicatrização, tanto em diabéticos como em lesões vasculares.

É um tratamento não invasivo e, junto com curativos diários, promove melhora da qualidade de vida dos pacientes.

Clínica Afrat possui especialista em Ondas de Choque pela Sociedade Brasileira de TOC, Dr Luiz Henrique Tintori, CRM 129.789,

Agende uma avaliação pelo telefone 2296-4344, fale com Valéria.

Bibliografia: 123

1 resposta para Pé diabético + Ondas de Choque – novo tratamento para feridas de difícil cicatrização.
  1. Nossa que artigo bom,gostei muito.
    vou recomendar para as amigas


[topo]

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *